Saiba como fazer uma análise de riscos efetiva

 

 

 

O que é análise de risco?

A análise de risco ou análise preliminar de risco (APR) é um processo pelo qual uma empresa avalia a probabilidade de acontecerem determinados eventos negativos, imprevistos e incertezas decorrentes ou durante determinada ação.

Por meio desse processo, os gestores conseguem identificar os problemas que podem surgir e impactar negativamente o negócio.

Esse gerenciamento de risco pode ser feito em diferentes setores da empresa, como:

  • Na segurança do trabalho, entendendo os riscos aos quais os trabalhadores estão expostos;
  • Na análise ambiental, evitando problemas que possam trazer riscos e impactos ao meio ambiente;
  • Na análise de risco financeiro, avaliando os possíveis prejuízos de determinado investimento;
  • Na área de projetos, conhecendo os possíveis problemas na operação da empresa.

 

Quais são as etapas de uma análise de risco?

Já está convencido da importância de fazer esse gerenciamento de risco, mas não sabe por onde começar? Afinal, como fazer uma análise de risco?

Segundo o PMBOK (Project Management Body Of Knowledge), guia de melhores práticas no gerenciamento de projetos, a análise de risco inclui os processos de:

  • Condução do planejamento;
  • Identificação;
  • Análise;
  • Planejamento de respostas;
  • Implementação das respostas;
  • Monitoramento dos riscos.

 

1. Entenda os diferentes tipos de risco

O primeiro passo é entender os diferentes tipos de riscos aos quais uma empresa pode estar exposta. Assim, será mais fácil identificar os que ocorrem no seu negócio. São eles:

  • Riscos desconhecidos: não constam nas previsões das operações da empresa e podem surpreender os responsáveis com consequências tanto negativas como positivas;
  • Riscos conhecidos: são aqueles que tanto o gestor como as equipes têm ciência, por isso é mais fácil se antecipar a eles;
  • Riscos positivos: alguns riscos podem se traduzir em oportunidades de negócio;
  • Riscos negativos: são os que ameaçam a saúde financeira e o equilíbrio da empresa, ultrapassando os tetos de orçamento ou até quebrando a confiança de parceiros de negócio e manchando a imagem da empresa;
  • Riscos gerais: combinam diversas probabilidades de diferentes fontes;
  • Riscos individuais: aplicam-se apenas a um setor específico, mas, quando mal gerenciados, podem afetar toda a estrutura do negócio.

 

2. Faça um planejamento

Depois de entender os diferentes tipos de riscos, é hora de analisar a sua empresa de maneira global, definindo ameaças e oportunidades.

Envolver diferentes equipes ajuda a ter uma visão mais ampla da sua empresa, além de deixar os gestores cientes sobre os riscos que podem impactar suas áreas.

 

 

3. Liste os riscos

Essa é a etapa de identificação dos riscos. Faça um levantamento com todas as situações que as equipes acreditam que podem comprometer sua empresa, incluindo os desdobramentos possíveis, sejam eles negativos ou positivos.

Uma boa ferramenta que pode ajudar nesse momento é a análise SWOT, que lista as forças (Strength), fraquezas (Weakness), oportunidades (Opportunities) e ameaças (Threats), baseando as ações que devem ser seguidas nas próximas etapas.

 

 

4. Faça uma análise qualitativa e quantitativa

Não basta apenas listar todos os riscos, é preciso entender cada situação, nomear um responsável e garantir que haja um gerenciamento de cada risco.

Além disso, defina métricas e números que ajudem a compreender os impactos e a entender como cada um afeta a organização.

 

 

5. Crie um plano de resposta

Ao compreender profundamente cada risco ao qual sua empresa está exposta, será mais fácil desenvolver um plano documentado de ação e prevenção.

Entenda o que pode ser feito por cada equipe para evitar que determinados riscos ocorram e quais medidas devem ser tomadas caso o risco se configure.

É importante que cada uma dessas etapas seja registrada e documentada, formalizando a sua análise de risco.

O plano de resposta deve ser exposto a todos os gestores, responsáveis e colaboradores, permitindo que os envolvidos saibam como agir em cada uma dessas situações.

 

 

6. Monitore os riscos

A fase de controle da análise de risco consiste em gerenciar as medidas preventivas que foram implantadas, identificando as situações que requerem adequação e aprimoramento.

Alguns dos aspectos que você poderá avaliar na sua análise de risco são:

  • Processo produtivo e as etapas desenvolvidas;
  • Equipamentos e produtos empregados;
  • Variáveis referentes ao ambiente de trabalho;
  • Colaboradores em situação de risco;
  • Jornada de trabalho;
  • Legislação aplicável a cada situação de risco;
  • Riscos em novos projetos;
  • Riscos financeiros;
  • Riscos referentes ao lançamento de novos produtos e serviços;
  • Riscos de segurança, especialmente considerando os softwares usados pela empresa;
  • Entre outros.

 

Depois de identificar os riscos presentes no local de trabalho, o profissional consegue identificar quais colaboradores estão expostos aos riscos e, deste modo, pode realizar todas as medidas preventivas  necessárias, bem como os procedimentos de segurança do trabalho.

 

Fonte:

www.conceitozen.com.br

www.sankhya.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *