Conheça os 4 acidentes oculares mais comuns no trabalho

 

Os acidentes oculares no trabalho podem provocar o afastamento de funcionários das suas funções e, em casos mais graves, a perda de visão.

As horas de trabalho ocupam boa parte do nosso dia a dia. Por essa razão, muitas lesões podem ocorrer enquanto trabalhamos. Entre as partes do corpo mais atingidas, os olhos são os mais sensíveis, e podem ser afetados permanentemente.

Os trabalhadores mais acometidos pelo Acidente Ocular de Trabalho (AOT) pertencem aos setores industriais, seguidos pela construção civil e agropecuária.

Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), cerca de 150 mil brasileiros precisam de atendimento oftalmológico devido a acidentes ocorridos no trabalho.

A atividade laboral realizada também influencia os tipos de lesões sofridas pelos funcionários.

Portanto, pessoas que exercem suas responsabilidades ao ar livre ou em ambientes industriais são mais propensas a apresentar elementos estranhos no olho e sofrer:

  • traumas;
  • arranhões;
  • queimaduras químicas.

Por outro lado, as pessoas que trabalham na área de serviços ou comércio sofrem mais de fadiga visual, olhos secos ou conjuntivite.

A boa notícia é que muitas dessas lesões podem ser solucionadas com uso do EPI correto! Continue lendo este artigo para saber sobre os quatro acidentes oculares mais comuns no local de trabalho e estratégias de prevenção.

 

Tipos de acidentes oculares mais comuns

Os acidentes oculares no local de trabalho podem ocorrer por algumas razões. Por exemplo, pela falta de conhecimento ou treinamento do trabalhador em relação à qual proteção ocular usar.

Em outro cenário, ele pode não ter recebido o Equipamento de Proteção Individual (EPI) certo para realizar sua atividade. Confira, a seguir, as principais lesões!

 

1 — Contusão

Os acidentes oculares causados por contusão se caracterizam por choque de superfícies.

Seus principais sintomas são:

  • roxidão;
  • sangramento;
  • inchaço da pálpebra;
  • descolamento da retina.

 

2 — Queimaduras

As queimaduras podem ser provocadas por produtos químicos, e suas composições fazem  toda a diferença. Os resultados de cada contato diferem, mas em todos os casos as substâncias causam acidentes oculares sérios.

Além disso, a exposição dos olhos à radiação pode acarretar queimaduras e danos permanentes se as precauções adequadas não forem tomadas.

 

3 — Perfuração ou abrasão da córnea do globo ocular

Se um objeto estranho penetrar no olho, o correto é encaminhar o trabalhador ao pronto-socorro/centro de atendimento de urgência imediatamente.

Para evitar mais danos, é necessário que o trabalhador que não tente remover o objeto ou esfregar a região afetada.

Se possível, use um copo de papel ou um escudo ocular sobre o olho para proteção e, em seguida, procure ajuda. Afinal, os pequenos corpos estranhos podem atingir a córnea.

 

4 — Presença de corpo estranho

As causas mais comuns de acidentes oculares ocorrem quando há presença de corpo estranho, como areia ou poeira. As escoriações córneas causam desconfortos, vermelhidão ocular e sensibilidade à luz.

Arranhões também podem tornar o olho suscetível às infecções de bactérias ou fungos, podendo causar cegueira.

Por isso, o mais importante é encaminhar o trabalhador ao atendimento médico e orientar que não coce os olhos para não aumentar os danos.

 

Prevenção aos acidentes oculares

Existem inúmeras possibilidades de promover a segurança no local de trabalho e reduzir o risco de uma lesão ocular.

Os acidentes oculares, em sua maioria, podem ser evitados quando o EPI certo é utilizado devidamente por todos os atuantes na área de risco.

Os óculos de segurança, por sua vez, oferecem proteção contra:

  • poeira;
  • impacto;
  • respingos químicos;
  • riscos líquidos ou gasosos.

Além disso, os escudos faciais podem ser usados para proteger os trabalhadores de:

  • calor;
  • patógenos transportados pelo sangue.

Esses são, frequentemente, combinados com capacetes no local de trabalho quando se lida com materiais derretidos e soldagem.

Assim, a proteção ocular deve ser integrada a outros EPIs, e adequada, ou ajustável, ao trabalhador, para fornecer cobertura suficiente aos olhos.

 

FONTE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *